MIREX quer mais angolanos no Sistema das Nações Unidas

MIREX quer mais angolanos no Sistema das Nações Unidas

Luanda – O ministro das Relações Exteriores, Téte António, destacou, nesta sexta-feira, em Luanda, a necessidade da inserção de mais quadros angolanos no Sistema das Nações Unidas, para maior divulgação da imagem do país e presença mais interventiva nas organizações internacionais.

O governante, que falava na cerimónia de empossamento do novo director da Direcção dos Assuntos Multilaterais, Jacinto Rangel Lopes Cordeiro Neto, reafirmou que o processo de inserção de quadros angolanos nas instituições internacionais há muito iniciado deve continuar.

“Apesar de este dossier ser transversal,  a Direcção dos Assuntos Multilaterais (DAM) tem uma grande responsabilidade, porque é exactamente nessas Organizações Internacionais onde queremos ver os angolanos, aproveitando as oportunidades existentes”, reforçou o ministro.

Conforme Téte António, o país tem opiniões, tem feito um trabalho que o mundo precisa de ouvir e saber, destacando a necessidade de um trabalho  de equipa, por, no seu entender, ninguém ser bem sucedido se não imprimir o espírito de equipa.

“O espírito de equipa não só faz bem à imagem da casa, mas também ao que produzimos, porque ninguém tem o monopólio do conhecimento”, acrescentou.

À luz da orgânica do MIREX, a Direcção dos Assuntos Multilaterais – DAM (antiga Direcção de Organizações Internacionais – DORINT) tem, entre outras, a  missão de executar e acompanhar a política externa do Estado angolano em todas as suas vertentes, nomeadamente nos domínios político, de cooperação, diplomático, económico, financeiro, social, comercial, técnico-científico, cultural, atinentes às Organizações Internacionais e Instituições Internacionais, no âmbito do Sistema das Nações Unidas.

Ainda nesta sexta-feira, o ministro concluiu o ciclo de visitas às instalações da instituição, nomeadamente ao Secretariado Nacional da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Related posts